Você está lendo...
Meio Ambiente, Política Internacional

A Guerra pela Água – Parte I – Prelúdio


Preocupar-se com a escassez de água em um planeta que tem 75% de sua superfície coberta por ela parece absurdo, mas o fato é que as reservas de água potável no mundo vem se reduzindo a níveis críticos.

Para entender a situação é preciso considerar que 97% de toda água disponível no planeta encontra-se nos oceanos, água salgada, e cerca de 2% dela está congelada em geleiras e nas calotas polares. Dessa forma, somente 1% de toda água do mundo – presente nos rios, lagos, lençóis freáticos superficiais e atmosfera – está efetivamente disponível para o consumo humano, para a produção de alimentos e o uso industrial.

E se por um lado seu ciclo natural a torna um recurso renovável, as suas reservas são limitadas. Segundo relatório da ONU, a quantidade de água doce produzida pelo processo de evaporação-chuva nos dias de hoje é basicamente a mesma que em 1950 e deverá se manter inalterada até 2050. Por outro lado, a demanda por água só tem aumentado, fator agravado pela má administração dos recursos hídricos (poluição por efluentes domésticos e industriais não tratados, contaminação por agrotóxicos na agricultura, ocupação de áreas de mananciais e desertificação de regiões desmatadas) e pelas mudanças climáticas por que passa o planeta.

Ainda de acordo com o mesmo relatório, hoje cerca de 1,1 bilhão de pessoas no mundo não tem acesso a água potável e mais de 5 milhões morrem de doenças causadas por água contaminada a cada ano. A previsão é de que em 2025 mais de 2,7 bilhões de pessoas irão viver em áreas onde a quantidade de água potável será insuficiente para suprir suas necessidades se o consumo do planeta continuar nos níveis atuais.

Em países como os EUA, China e Índia, a água já vem sendo consumida em um ritmo mais rápido do que ela pode se renovar. Mais da metade dos rios do mundo está poluída com despejos de esgotos, resíduos industriais e agrotóxicos, e estima-se que cerca de 30% das maiores bacias hidrográficas já perderam mais da metade de sua cobertura vegetal, reduzindo a disponibilidade de água.

Diante deste cenário, e como já acontece com o petróleo, os recursos hídricos vêem a cada dia ocupando espaço no cerne de um número cada vez maior de tensões internacionais. No Oriente Médio, por exemplo, uma séria controvérsia envolve a disputa de três países pelo uso da água do rio Eufrates. A Turquia, onde está a cabeceira do rio, ergueu várias represas para projetos de irrigação, reduzindo o volume e água na Síria e no norte do Iraque, que dependem do Eufrates para suprir metade de sua demanda. Outro exemplo importante está embutido na chamada Questão Palestina, uma vez que um dos pontos sem acordo entre Israel e os palestinos é o uso das reservas aquiferas da Palestina, hoje superexploradas pelos israelenses.

O cenário de um mundo desértico, em que países disputam guerras pelo controle das fontes de água já não é apenas argumento para filmes de ficção, mas uma previsão sombria que faz parte da agenda real de preocupações da Organização das Nações Unidas.

Em artigo publicado no dia 24 de agosto de 2006, no International Herald Tribune, os especialistas Kevin Watkins e Anders Berntell, ao discorrerem sobre a escassez de água neste século, destacaram a possibilidade de guerras pela água e que a CIA, a consultoria PriceWaterhouseCoopers e o Ministério de Defesa britânico levantaram o espectro de futuras guerras por água, devido à redução de recursos hídricos no Oriente Médio, Ásia e África sub-Saariana ( leia o artigo em http://www.bbc.co.uk).

Nos últimos 50 anos, verificaram-se cerca de 37 casos de violência declarada entre Estados devido à água, e a maioria dos episódios envolveram disputas menores. Entretanto, foram negociados mais de 200 tratados envolvendo controvérsias territoriais em torno de fontes de água potável e/ou a sua exploração. Conforme se verifica facilmente, a água, tanto como o petróleo atualmente, vem se tornando foco crescente de tensões internacionais, na medida em que se consolidam as sombrias previsões de escassez.

(continua….)

Anúncios

Discussão

2 comentários sobre “A Guerra pela Água – Parte I – Prelúdio

  1. Muito lgl o post…tem que escrever sobre aquele tema que eu ja tinha falado
    vlw

    Publicado por Gabriel | 2011/05/23, 10:05

Trackbacks/Pingbacks

  1. Pingback: A Guerra pela Água – Parte II – Mercadoria e Questão de Segurança Nacional « Minhas Notas no Facebook - 2011/07/03

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: